O TRF-1 manteve a expulsão de um aluno da Universidade Federal de Uberlândia por aplicar trote violento em calouro do curso de agronomia. O calouro foi forçado a retirar a camisa e os tênis, teve o corpo coberto de tinta, foi arrastado no chão e obrigado a deitar-se sobre um formigueiro.

Já publiquei em alguns posts a minha aversão à prática do trote. Nunca acaba bem. A mistura de jovens eufóricos com o início da vida acadêmica e bebidas alcoólicas não dá certo.

Cômicas foram as alegações do veterano expulso.

Segundo o aluno expulso, como o suposto fato delituoso ocorreu fora das dependências da universidade, a sanção de expulsão não pode ser aplicada de acordo com a Resolução 15/93 do Conselho Universitário da UFU, que determina que “as proibições referentes a manifestações contra os alunos ingressantes a título de trote são aplicáveis apenas às ocorridas no âmbito da Universidade”. Além disso, afirma que a aplicação da pena foi desproporcional e contrária à finalidade da instituição de ensino, que é de educar”.

Engraçado, não?! Sinceramente, o veterano brincalhão também é um baita de um piadista!

Fora da Universidade pode tudo!!! Pode agredir, pode xingar e pode humilhar. Mas só fora do campus.

Entenda o ocorrido lendo a íntegra no Conjur.

Anúncios