Com milhares de processos sob sua responsabilidade o “jogo” da competência não é de quem quer puxá-la, mas sim, expulsá-la de sua esfera. De preferência para o mais longe possível. (rs)

Assim, num caso em que uma ex-empregada doméstica processou seus ex-empregadores pleiteando danos morais por erro médico, a 1ª Vara de São Bento do Sul mandou o processo para a justiça trabalhista.

Óbvio. O processo iria voltar.

A relação não foi de trabalho. Foi eminentemente civil. Justiça Comum, julgue!

Confira a notícia e mais detalhes do caso no site do STJ

Anúncios