Um pedreiro em Presidente Prudente/SP passava-se por delegado de polícia, inclusive utilizando carteiras funcionais, distintivo de detetive e giroflex instalado em seu carro, tudo isso para impressionar sua amante.

Segundo o delegado, o verdadeiro, o pedreiro era tratado por muitos como doutor, e em algumas oportunidades, aproveitando-se do falso cargo, fez empréstimos com os amigos da concubina.

O farsante responderá por crime de estelionato.

Fonte: G1 .

Anúncios